Notícias

Cimento Portland: Tipos, Composição e Aplicação

Cimento Portland: Tipos, Composição e Aplicação

O cimento é o componente básico e mais importante para o concreto, ele é responsável pela maior parte das propriedades de resistência e durabilidade do material, além de ser responsável pela união dos agregados. Neste artigo serão abordados os tipos de cimento e suas aplicações.

 

Composição do Cimento

O cimento é um material composto basicamente por argila e calcário, a união destes dois elementos sob altas temperaturas gera o clínquer, que é a matéria prima básica do cimento. O clínquer é moído e junto a ele é adicionado gesso, com a intenção de auxiliar o retardamento do início da pega, e mais algum outro componente para melhorar as propriedades do material, podendo ser escória, pozolana ou fíler.

A proporção dos materiais presentes no cimento influenciam em suas propriedades, desta forma, diversos tipos de cimento foram surgindo a partir da modificação da proporção dos componentes, e isso permitiu melhorar determinadas características do concreto. Veja a seguir os tipos de cimento disponíveis no mercado:

 

Cimento Portland Comum - CP I 

O cimento Portland comum é aquele que contém basicamente clínquer e gesso sem qualquer adição de outros materiais. Ele é o produto mais básico entre todos os cimentos e pode ser utilizado em locais onde não há contato com agentes agressivos como sulfatos e cloretos. 

Uma variação deste cimento é o CP I-S, cimento comum com adição. Ele contém os mesmos componentes do CP I, com a diferença de apresentar adição de argila pozolânica na proporção de até 5%, este material ajuda a melhorar algumas propriedades de permeabilidade e durabilidade do concreto.

 

Cimento Portland Composto - CP II 

Este tipo de cimento é o mais encontrado no mercado, ele é caracterizado pela adição de componentes especiais em dadas proporções para melhorar propriedades do concreto, podendo ser de 3 tipos, CP II-Z (adição de pozolana), CP II-E (adição de escória) e CP II-F (adição de fíler).

O CP II-Z contém pozolana variando de 6 a 14%, a pozolana diminui a permeabilidade do concreto, aumentando assim a durabilidade, é ideal em locais onde o concreto estará em contato direto com a agua ou agentes agressivos.

O CP II-E contém adição de escória variando de 6 a 34%, este tipo de cimento reduz o calor de hidratação liberado após o início da pega do concreto e pode ser utilizado nas mais diversas situações.

O CP II – F contém fíler na proporção de 6 a 10%, este cimento é indicado para situações gerais de utilização do concreto, desde pisos até vigas e lajes.

 

Cimento Portland de Alto Forno - CP III

Este cimento é caracterizado pela alta proporção de escória, variando de 35% a 70% do material, isso garante maior resistência, durabilidade e principalmente, reduz consideravelmente o calor de hidratação liberado nos primeiros dias após a concretagem.

Concretos feitos com CP III são muito úteis em grandes obras, onde a dimensão dos elementos estruturais pode dificultar os procedimentos de cura, como por exemplo blocos de fundação muito grandes, barragens de concreto entre outros, nesses casos a massa de concreto no interior do elemento tem dificuldade em expulsar o calor da reação química, ocasionando o surgimento de fissuras.

 

Cimento Portland Pozolânico - CP IV

O cimento Portland pozolânico tem em sua composição valores de 15% a 50% de material pozolânico, isso contribui para o aumento na densidade do concreto e, consequentemente, reduz os poros do material. É utilizado em obras onde há contato direto com a água ou em locais onde há ataques de sulfatos como em galerias de esgoto por exemplo, os sulfatos atacam o concreto reduzindo a capacidade resistente dos elementos estruturais, portanto, para este tipo de obra é extremamente recomendado o uso de CP IV ou CP-RS.

 

Cimento Portland de Alta Resistência Inicial - CP V ARI

O cimento de alta resistência inicial é obtido através de um processo de moagem mais fina do clínquer. Quando o clínquer sai do forno, ele passa por um processo de moagem padrão, para obter o CP V, esse processo é feito de forma mais rigorosa, garantindo que os grãos sejam extremamente finos, com isso a área de contato dos grãos de cimento é maior, favorecendo assim a velocidade da reação química com a água (hidratação). 

Com o cimento de alta resistência inicial, é possível reduzir o período de cura, graças ao aumento da velocidade da reação de hidratação, além de obter um concreto mais denso com menos vazios, isso também está relacionado a resistência, por isso o CP V também é utilizado na produção de concreto de alto desempenho.

 

Cimento Portland com Baixo Calor de Hidratação - CP – BC

De forma semelhante ao CP III, o CP – BC tem como característica principal a redução do calor de hidratação, todos os 5 tipos básicos de cimento (CP I, CP II, CP III, CP IV e CP V) podem ser de baixo calor de hidratação, isso é possível por meio da adição de componentes que retardem o desprendimento de calor, evitando assim fissuras geradas pela retração do concreto. Este tipo de cimento é indicado na concretagem de peças de grande volume como blocos de fundação e barragens.

 

Cimento Portland Resistente a Sulfatos - CP – RS

O cimento resistente a sulfatos tem características bastante semelhantes ao CP IV, o detalhe é que todos os 5 tipos básicos de cimento podem ser resistentes a sulfatos desde que atendam as especificações. A função principal de um cimento resistente a sulfatos é reduzir a permeabilidade do concreto evitando assim que os sulfatos presentes no meio ataquem o material, reduzindo sua resistência e vida útil. Este tipo de cimento é indicado em obras onde há contato direto com esgotos, fertilizantes agrícolas, água do mar, e qualquer outro meio que contenha sulfatos.

 

Cimento Portland Branco - CP – BC

A principal diferença deste cimento para os demais é sua cor, o cimento branco é obtido a partir da utilização de materiais com baixo teor de ferro e manganês na composição do cimento, responsáveis pela coloração cinzenta. O CP – BC pode ser utilizado em diversas situações, em concretos de função estrutural ou não, ele é mais caro que o cimento comum, com a vantagem de apresentar um aspecto arquitetônico mais agradável.

 

Revisado por Eng. Bruno Reganati em 03 de abril de 2019

loader pagina