Notícias

Tipos de Concreto utilizados na Construção Civil

Tipos de Concreto utilizados na Construção Civil

Conhecemos bem o concreto comum e suas utilizações na construção de pisos, lajes, vigas, pilares, seja em concreto armado, ou em peças pré-moldadas. Neste artigo abordaremos outros tipos de concreto menos conhecidos e que podem ser úteis em situações específicas.

 

Concreto convencional

Quando falamos em concreto convencional, nos referimos ao material formado pela mistura simples de cimento, agregados e água. Por conta do seu fácil manuseio e preparo, o concreto convencional é utilizado na maior parte das obras do Brasil e do mundo.

Um dos fatores mais importantes relacionados ao concreto é sua resistência característica, em geral, variando de 15 Mpa a 40 Mpa para os mais comuns, apesar de existirem também outros concretos mais resistentes que alcançam incríveis 90 Mpa, a resistência pode ser definida a partir da proporção dos materiais ou traço. 

Como o concreto convencional é amplamente utilizado, surgiram métodos que calculam a proporção de materiais para se alcançar uma determinada resistência, um dos mais utilizados é o método Caldas Branco, que consiste em uma tabela onde há uma relação direta entre traços e resistência característica do concreto. Com isso é possível prever a resistência esperada do concreto, por exemplo, para um concreto de 25 Mpa o traço utilizado é de 1:2:3, ou seja, uma porção de cimento, duas de areia e três de brita. O método foi criado para concretos convencionais, portanto, só há informações para resistência até 40 Mpa.

O concreto convencional é feito no local da obra ou pode ser comprado em usinas de concreto conhecidas como concreteiras. O que diferencia este concreto dos demais é a proporção dos materiais utilizados e os tipos de material utilizado, em geral, se utiliza cimento CP-II Z 32, brita 1 (agregados de até 19 mm), e areia fina. Em geral, este tipo de concreto necessita ser adensado por conta da baixa trabalhabilidade e consistência de aparência seca, seu slump é de 4 cm a 7 cm.

 

Concreto bombeável

Na maioria dos casos onde há entrega de concreto usinado no local da obra, há a necessidade de transportar o concreto presente no caminhão betoneira até um ponto específico da concretagem, seja ele uma laje, um bloco de fundação, estaca entre outros. Para esses casos é realizado o bombeamento de concreto, ou seja, o transporte de concreto sob pressão feita por um equipamento especial através de uma mangueira ou tubo.

O concreto bombeável é um tipo de concreto que difere dos demais por conta da sua alta fluidez, que é garantida por meio de aditivos plastificantes na mistura, que dão ao material maior consistência sem diminuir sua resistência. O slump do concreto bombeável fica entre 7 cm e 10 cm, no entanto, os valores podem ser maiores em função da distância do ponto de concretagem, como é o caso de lajes de edifícios.

O concreto convencional tem pouca trabalhabilidade, e isto está relacionada a sua fluidez. Para permitir que o concreto possa ser transportado por meio de bombas, é necessário que o atrito entre as paredes da tubulação e o concreto sejam mínimas, reduzindo assim a necessidade de potência da bomba, graças ao concreto bombeável o transporte sob pressão se tornou viável.

Uma das principais vantagens em se utilizar o bombeamento de concreto é o tempo de concretagem, o bombeamento permite que o material seja despejado no local exato, sem a necessidade de equipamentos de transporte como carriolas e gruas, além de reduzir a necessidade de mão de obra, permitindo uma redução nos custos da concretagem.

 

Concreto de alta resistência inicial

 

A principal característica do concreto de alta resistência inicial (CAR) é o ganho de resistência nos primeiros dias após a concretagem. Nos concretos em geral, a resistência é adquirida durante os primeiros 28 dias, no entanto, a forma como a resistência é ganha durante esse período pode variar em função do tipo de cimento e dos procedimentos de cura.

O tempo necessário para o ganho da resistência interfere na logística e nos custos da obra, pois, isso influencia no tempo em que os elementos estruturais precisam ficar nas formas escorados. Com o CAR é possível obter boa parte da resistência do concreto nos primeiros dias após a concretagem, isso permite que o período necessário de utilização das formas seja reduzido, aumentando assim a produtividade do canteiro de obras, principalmente em locais onde a logística é fundamental para o andamento da obra, como por exemplo, grandes edifícios.

A fabricação do concreto de alta resistência inicial depende principalmente de um tipo de cimento especifico, o CP V-ARI, ele é o material responsável por garantir o ganho de resistência nos primeiros dias.

A utilização do CAR é bastante comum na indústria de pré-moldados, onde há a necessidade de se retirar as formas rapidamente para manter a velocidade na produção das peças estruturais.

 

Concreto de alto desempenho

Em termos de resistência a compressão os tipos de concreto apresentam características bastante variáveis, podendo ir de 15 Mpa até valores superiores a 100 Mpa. A resistência do concreto está relacionada a sua porosidade, ou seja, quanto menor for a quantidade de vazios dentro do concreto, mais resistente ele é.

O concreto de alto desempenho (CAD) tem como característica principal, valores de resistência a compressão muito elevados, desde 50 Mpa até valores superiores a 100 Mpa. Ele surgiu com a necessidade de se reduzir as dimensões de elementos estruturais extremamente solicitados como é o caso dos pilares inferiores de um edifício.

Na composição do CAD a relação água/cimento é extremamente baixa, em torno de 0,2, isso é possível graças a adição de plastificantes, também há a adição de materiais finos como sílica ativa permitindo que os vazios sejam preenchidos. O custo do concreto aumenta em função da resistência pretendida, por isso, o CAD é um dos concretos mais caros, no entanto, ele permite que os elementos estruturais sejam mais esbeltos, o que de certa forma pode atenuar seu custo.

Uma vantagem importante em relação ao CAD é o aumento da durabilidade das estruturas, o fato do concreto ser menos poroso e permeável faz com que ele seja mais resistente a ataques de sulfatos e cloretos por exemplo, garantindo assim que a armadura esteja protegida por mais tempo.

 

Concreto auto-adensável

Como o próprio nome já sugere, o concreto auto adensável é aquele onde não há a necessidade de se realizar a vibração durante a concretagem, por conta de suas características únicas, ele se molda facilmente na forma e não permite que haja segregação dos materiais constituintes do concreto.

O processo de adensamento é uma das etapas mais importantes da concretagem, em geral, quando o concreto é lançado dentro das formas, ficam vazios preenchidos com ar que vão interferir na vida útil da estrutura. Nesse sentido o uso do concreto auto adensável ganha muita importância, por se tratar de um material que não necessita de adensamento, ele garante maior durabilidade nas estruturas além de reduzir o tempo de concretagem.

Uma das características mais importantes do concreto auto adensável é sua alta fluidez, no entanto, um concreto com alta fluidez não é necessariamente um concreto auto adensável, outras características importantes são necessárias para este tipo de concreto como a coesão e resistência a segregação de materiais. O adensamento é dispensado por conta de uma característica do concreto auto adensável, que é a capacidade de manter os agregados envolvidos na pasta de cimento (resistência a segregação), o que não ocorre com os outros tipos de concreto.

Apesar do custo do concreto auto adensável ser maior que os convencionais, há várias vantagens que por si só pagam o investimento, como por exemplo, redução no tempo de concretagem, redução no esforço para nivelar as superfícies planas como no caso de pisos e lajes, entre outros.

 

Concreto leve

Um dos principais problemas encontrados em relação ao concreto é sua massa elevada, isso afeta toda a estrutura, exigindo que os elementos estruturais tenham maior dimensão para suportar as cargas, interferindo na arquitetura e encarecendo a obra como um todo. 

A massa específica do concreto fica em torno de 2500 Kg/m³, para se ter uma ideia do que isso representa, se você encher uma lata de 18 litros com concreto ela terá 45 Kg, sendo que a mesma lata preenchida com água pesaria em torno de 18 Kg. Boa parte do peso do concreto vem do agregado graúdo (brita), por isso, foram sendo criados concretos mais leves com a substituição deste componente por outros de menor massa específica.

O concreto leve é um material que apresenta menor massa especifica em relação aos outros concretos, isso é possível através da incorporação de ar ao material ou a substituição da brita por componentes mais leves como isopor, argila expandida, espuma, entre outros. Podemos utilizá-lo com função estrutural, como é o caso de peças pré-moldadas onde é interessante reduzir o peso para poder otimizar o transporte, mas na maioria dos casos o concreto leve é utilizado apenas como elemento de vedação.

Um dos tipos de concreto leve mais interessantes é o concreto celular, ele é feito a partir da substituição da brita por espuma e incorporação de ar, chega a pesar incríveis 300 Kg/m³, para se ter uma ideia, se você preencher uma lata de 18 litros com este material, ela terá uma massa de 5,4 Kg. Este tipo de material é, em geral, pouco resistente, e por isso é utilizado apenas como reboco de paredes ou nivelamento de pisos e lajes.

Há várias vantagens em se utilizar o concreto leve, uma delas é que o material tem baixa condutividade térmica, ou seja, ele isola melhor o calor do que os concretos convencionais, por conta disso é bastante utilizado nas regiões mais frias. Uma das desvantagens é o custo, a brita é um material relativamente barato em relação aos componentes do concreto leve, por isso, em geral, ele tende a ser mais caro, no entanto, as estruturas vedadas com este tipo de material são mais leves, permitindo uma redução na dimensão dos demais elementos estruturais.

 

Concreto pesado

            O concreto pesado é uma das variações do concreto que tem como característica principal sua elevada densidade. Ele chega a alcançar valores de massa específica superior a 3000 Kg/m³, por conta disso seu uso pode encarecer a obra levando a necessidade de se dimensionar elementos de fundação mais robustos.

Ao contrário do que acontece com o concreto leve, o concreto pesado é preparado com a intenção de se obter um material com maior densidade, ou seja, maior massa por unidade de volume. Isso é possível graças a substituição da brita como agregado graúdo por materiais mais densos como a hematita, barita e magnetita.

A utilização do concreto pesado é viável em situações muito específicas, em geral, usa-se em obras onde há contato direto com radiação proveniente de raios X e raios gama. Graças aos componentes presentes no material, quando endurecido, apresenta propriedades isolantes quanto a radiação, por conta disso, é utilizado na construção de hospitais onde há aparelhos radiológicos e usinas nucleares.

Por conta da elevada densidade dos agregados, é necessário estar atento quanto ao adensamento no momento da concretagem, é comum haver segregação dos materiais, e uma concretagem mal feita pode comprometer as propriedades isolantes do concreto pesado quando estiver endurecido.

 

Concreto permeável

Quando comparado aos demais tipos de concreto, o concreto permeável se destaca por sua alta porosidade, isso é possível graças a redução dos agregados finos como a areia e o aumento na proporção de agregados maiores como o brita. Em geral, quanto menos poroso for o concreto melhor em termos de resistência, no entanto, a principal função do concreto permeável é permitir a passagem de água da superfície para as camadas subterrâneas.

A vantagem em se utilizar o concreto permeável está na redução dos problemas causados pelo excesso de áreas impermeáveis nas cidades, a malha urbana impede que a água de desloque para o solo com facilidade, por conta disso há o crescimento de problemas com enchentes. Com a utilização do pavimento permeável é possível reter parte desta água e direcioná-la para o solo ou mesmo reaproveita-la.

Alguns pontos negativos a respeito do concreto permeável tem limitado sua aplicação em larga escala, como sua baixa resistência e o entupimento dos poros ao longo do tempo. Apenas dois anos após a instalação, 50% dos poros estarão entupidos, isso prejudica a vida útil do material e consequentemente sua viabilidade.

 

Revisado por Eng. Bruno Reganati

loader pagina